• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

No PI, Flávio Dino rebate Bolsonaro: 'consórcio fortalece o Brasil'

Os nove governadores do Nordeste discutem investimentos e cooperação interestadual no Fórum de Governadores em Teresina.

21/08/2019 15:57h - Atualizado em 21/08/2019 16:57h

Representantes dos nove estados do nordeste estão reunidos em Teresina na tarde desta quarta-feira (21) para discutir questões relacionadas ao recém criado Consórcio Nordeste, instituído para tentar atrair investimentos para a região.

Participam do evento, que acontece em um hotel no bairro Ilhotas, os governadores Wellington Dias (PT-PI), Flávio Dino (PC do B - MA),Camilo Santana (PT-CE), Fátima Bezerra (PT- RN), João Azevedo (PSB- PB), Belivaldo Chagas (PSD-SE) e Rui Costa (PT-BA). Os governadores de Pernambuco e Alagoas não compareceram, mas enviaram os vices, Luciana Santos (PC do B - PE) e Luciano Barbosa (MDB - AL), respectivamente.

Durante o evento, o governador do Maranhão, Flávio Dino, (PC do B), que recentemente foi alvo de críticas e comentários por parte de Jair Bolsonaro, rebateu as falas do presidente e disse que a postura do Chefe do Executivo Nacional demonstra hostilidade. “Não há base prática para esta atitude de conflito. Acreditamos que conflitos têm hora e lugar para acontecer, marcadamente no período eleitoral”, disparou o governador maranhense.

Para Flávio Dino, o momento é de pensar pautas em comum que levem ao desenvolvimento do Brasil como um todo e que prezem pelo diálogo e alinhamento de ações entre os entes federais, estaduais e municipais. Esse, de acordo com ele, é o propósito do Consórcio Nordeste: um informe de cooperação nacional. “O Consórcio Nordeste é um instrumento de fortalecimento do Brasil. A agenda que temos é voltada para os investimentos públicos e a captação de investimentos privados não só nos estados nordestinos, mas em todo o país”.  

Dino destacou também a importância da relação do Piauí com o Maranhão, lembrando que os dois estados compartilham serviços públicos relevantes nos dois lados do Rio Parnaíba e que a ideia é justamente levar este tipo de trabalho em conjunto para o restante do Brasil.


Foto: Jailson Soares/O Dia

“É um passo largo para o Nordeste”, diz Wellington Dias

Durante a discussão, os gestores defenderam a necessidade de uma atuação integrada entre os nove estados da região. "Acho que é um passo largo que a região nordeste está dando. Isso, certamente, traz resultados positivos para o Piauí e para os demais estados", avaliou o governador Wellington Dias. Para o chefe do Executivo piauiense, o que os estados precisam é ver qual é a pauta prioritária para o Nordeste e trabalhar juntos apara alavancar a geração de emprego e renda.


Foto: Jailson Soares/O Dia

Quem também falou em cooperação foi o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), para quem o Nordeste vem assumindo protagonismo em discussões relacionadas à Federação, e dando exemplo de integração e união na gestão pública. Camilo rebateu críticas de que os Estados nordestinos estejam segundo uma agenda separatista e pontuou que o que está sendo feita é a discussão de pautas comuns que beneficiem a população da região.

“Estamos construindo uma agenda para buscar financiamentos internacionais e investir em projetos estruturantes do Nordeste Brasileiro na área ferroviária, hídrica, na construção de um cinturão digital. Já criamos o Sistema Único de Segurança Pública da região porque entendemos que há problemas, como o da segurança, que ultrapassam as fronteiras dos Estados e que há necessidade de trabalharmos juntos para combatê-los”.


Foto: Jailson Soares/O Dia

Quem também falou em cooperação foi o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), para quem o Nordeste vem assumindo protagonismo em discussões relacionadas à Federação, e dando exemplo de integração e união na gestão pública. Camilo rebateu críticas de que os Estados nordestinos estejam segundo uma agenda separatista e pontuou que o que está sendo feita é a discussão de pautas comuns que beneficiem a população da região.

“Estamos construindo uma agenda para buscar financiamentos internacionais e investir em projetos estruturantes do Nordeste Brasileiro na área ferroviária, hídrica, na construção de um cinturão digital. Já criamos o Sistema Único de Segurança Pública da região porque entendemos que há problemas, como o da segurança, que ultrapassam as fronteiras dos Estados e que há necessidade de trabalharmos juntos para combatê-los”.


Aguarde mais informações.

Por: Natanael Souza e Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário