• Novo app Jornal O Dia
  • ITNET
  • TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner

Henrique Pires não crê que Piauí será discriminado por Bolsonaro

Deputado eleito cita saneamento e diz que critérios para seleção de municípios são bem objetivos, e não estão sujeitos a politicagem.

11/01/2019 11:15h - Atualizado em 11/01/2019 14:19h

O deputado estadual eleito Henrique Pires (MDB) afirmou nesta sexta-feira (11) que não crê que o Piauí sofrerá algum tipo de discriminação por parte do Governo Federal na gestão do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Ex-presidente da Fundação Nacional de Saúde, o deputado eleito considera que ao menos neste órgão é improvável que ocorra algum tipo de segregação, pois, segundo o emedebista, o sistema de seleção dos municípios que recebem recursos da Funasa possui critérios extremamente objetivos, que dificilmente são sobrepujados por direcionamentos políticos.

"Na área que atuei, que é o saneamento, a saúde, você tem que fazer a política como ela é, não a politicagem. Então, nessa área eu não acredito que haverá prejuízo para o Piauí de forma alguma, inclusive porque, desde quando fui presidente da Funasa, os critérios de seleção já eram bastante objetivos, com a destinação de recursos para municípios de IDH menor e que tivessem projetos elaborados. Não havia politicagem. Os recursos não eram destinados apenas para onde houvesse votos. O saneamento tem que ser universal", avalia Henrique Pires, que presidiu a Funasa entre 2014 e 2017, e também foi titular da Secretaria de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades, entre 2017 e 2018.

O deputado estadual eleito Henrique Pires (Fotos: Poliana Oliveira / O DIA)

Por outro lado, Henrique Pires acredita que os dez deputados federais e os três senadores do Piauí devem atuar permanentemente para garantir que o Piauí continue recebendo investimentos do Governo Federal. E acrescenta que, em seu primeiro mandato como deputado, continuará trabalhando por obras no setor de saneamento básico.

"Já estive em Brasília este ano algumas vezes, junto com o senador Elmano Férrer e com o deputado Marcos Aurélio [Sampaio], com aqueles que estão dispostos a apoiar e que já apoiam o presidente Bolsonaro [...] E nós continuaremos indo até Brasília, buscando apoio não só de companheiros do Piauí, mas de outros estados, para buscar a universalização do saneamento, não só do Piauí, mas de todo o Brasil", afirma Henrique Pires.

Henrique Pires avalia que parlamentares federais estão 'gastando muita energia' com eleição da Alepi

O deputado eleito Henrique Pires também opinou que alguns parlamentares da bancada federal piauiense estão "gastando muita energia" com a eleição para a mesa diretora da Assembleia Legislativa do Piauí, quando deveriam estar focados em temas mais importantes para o estado, como a própria relação que se estabelecerá entre o Governo Federal e o Governo do Estado a partir de agora, na gestão de Jair Bolsonaro.

"Todo cidadão tem o direito de opinar sobre a coisa pública. Mas eu acho que deveríamos estar focados em outros temas, como as obras estruturantes de que o Piauí precisa, e o próprio arranjo político em Brasília. É nisso que deveriam estar gastando energia. Eu acho que é muita energia gasta com algo que é restrito a 30 deputados", afirma.

Henrique Pires diz que parlamentares da bancada federal deveriam gastar suas energias atuando em favor do Piauí em Brasília (Foto: Poliana Oliveira / O DIA)

Mesmo com as investidas externas, capitaneadas pelo deputado federal Assis Carvalho e pelo senador Ciro Nogueria (Progressistas), para evitar uma nova reeleição de Themístocles Filho (MDB), o deputado Henrique Pires acredita na vitória do correligionário em fevereiro.

"Na última eleição, o Themístocles foi aclamado. Foi unanimidade. A renovação da Assembleia Legislativa [no pleito de 2018] foi de apenas 20%. Então, 80% daqueles que já aclamaram Themístocles na eleição passada estão na Assembleia. Eu sou do MDB, reconheço as virtudes dele, o apoio e acredito na sua vitória", conclui Henrique Pires. 

Por: Cícero Portela

Deixe seu comentário