• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Deputado quer criar programa estadual no lugar do Mais Médicos

Como cria despesa para o Governo do Estado, a proposta foi apresentada pelo deputado na forma de indicativo de projeto de lei.

25/06/2019 06:46h - Atualizado em 25/06/2019 07:06h

O Piauí pode entrar para a lista de estados brasileiros que adotaram soluções caseiras para o problema causado com a falta dos médicos do Programa Mais Médicos do Governo Federal. A proposta é do deputado estadual Henrique Pires (MDB), que apresentou um Indicativo de Projeto de Lei que institui o Programa Mais Médicos do Piauí, que consiste  em uma bolsa de ensino, aperfeiçoamento e pesquisa na área de Saúde da Família para egressos do curso de Medicina da Universidade Estadual do Piauí (Uespi).

“Temos dois eixos nesta proposta pela qual o governador Wellington Dias já demonstrou interesse. Temos o eixo de que com os médicos que decidirem participar do programa poderão atuar nas cidades com déficit e também de termos aperfeiçoamento com a pesquisa que eles mesmo terão de fazer nos municípios, assim o Piauí terá ainda mais conhecimento a respeito de quais são as maiores necessidades da Saúde no Estado”, explica Henrique Pires. 


Henrique Pires apresentou Indicativo de Projeto de Lei que institui o Programa Mais Médico no Piauí - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Como cria despesa para o Governo do Estado, a proposta foi apresentada pelo deputado na forma de indicativo de projeto de lei. Segundo ele, os custos para o Estado devem permanecer praticamente os mesmos já que a fonte pagadora da Saúde tem praticamente toda a sua origem no mesmo fundo nacional. 

“O que mudaria é que com o Programa Médicos da Família do Piauí os profissionais do Estado teriam maior incentivo e poderiam ser aproveitados para preenchera demanda deixada pelos médicos que saíram do programa federal Mais Médicos”, acrescenta Henrique Pires. 

Propostas semelhantes já foram aprovadas no Ceará, Espírito Santo e em cidades como Campinas em São Paulo. 

Por: Natanael Souza - Jornal O Dia

Deixe seu comentário