• Canta
  • SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Orçamento previsto para Teresina em 2020 é de R$ 3,7 bilhões

Do total orçado, a Prefeitura pretende destinar R$ 694,3 milhões para investimento em obras na capital piauiense.

05/09/2019 06:54h - Atualizado em 06/09/2019 20:30h

A Prefeitura de Teresina (PMT) encaminhou à Câmara de Vereadores (CMT) o projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício 2020. Elaborado pela equipe da Secretaria Municipal de Planejamento (SEMPLAN), a proposta prevê uma receita total de R$ 3,7 bilhões, sendo R$ 1,7 bilhão de recursos próprios, e aproximadamente R$ 2 bilhões de recursos externos.

Do total orçado, a Prefeitura pretende destinar R$ 694,3 milhões para investimento em obras na capital piauiense. A vereadora Graça Amorim, líder do prefeito na CMT, explica que a LOA vai permitir a conclusão de importantes projetos do município. Ela acredita na aprovação da matéria sem grandes problemas. “Ela irá tramitar com a maior tranquilidade, porque temos até dezembro para votar”, pontuou.


A líder do prefeito defende aprovação do texto - Foto: Elias Fontinele/O Dia

Mais uma vez a maior previsão orçamentária ficou com a Fundação Municipal de Saúde (FMS), cerca de R$ 1,2 bilhão, com 33,2% desse valor oriundos de recursos próprios do Tesouro Municipal, mais que o dobro do percentual exigido legalmente, que é de 15%. 


O líder da oposição, vereador Dudu, fez alguns comentários sobre a proposta. “Geralmente vem para cá um percentual maior para a saúde, mesmo assim ainda temos uma saúde ineficiente, pois a cidade não tem ainda as consultas eletivas à altura do povo de Teresina”, disparou o parlamentar, endossado pelo presidente do legislativo municipal, vereador Jeová Alencar (PSDB), que encaminhou o projeto de LOA aos seus pares e para os técnicos da Casa.

“Temos uma carência na área do esporte, lazer e cultura, vemos campos e praças abandonados. Acredito deveria ter um olhar melhor, principalmente para a área social.  Infelizmente, nesses três anos da Prefeitura, a área social ficou para trás, assim como a zona rural, que passou a ser o ‘patinho feito’ dessa administração”, enfatizou Jeová.

A expectativa é que a CMT realize uma audiência pública para que representantes do Executivo esclareçam quaisquer dúvidas, dos vereadores e da população, referente aos recursos previstos para 2020.

Por: Breno Cavalcante - Jornal O Dia

Deixe seu comentário