• Canta
  • SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Pablo Santos confirma que deputados voltarão para secretarias

O emedebista afirma que os mandatos já foram oficialmente retomados na Alepi e eles vão votar sobre empréstimo.

05/09/2019 06:49h - Atualizado em 05/09/2019 11:38h

O deputado estadual Pablo Santos (MDB) informou nessa quarta-feira (4) que os seis parlamentares que ocupavam secretarias no primeiro escalão do governo do Estado já comunicaram oficialmente o retorno à Assembleia Legislativa.  A comunicação foi feita por escrito junto à secretaria da mesa diretora da casa.

“Os seis deputados já protocolaram oficialmente aqui na Assembleia o retorno. Estamos só aguardando que o Karnak publique as exonerações, mas, legalmente, já somos deputados”, informou Pablo Santos, que ocupava o comando da Fundação Hospitalar do Piauí. 

Ainda de acordo com o deputado, o retorno dos titulares e a saída dos suplentes da Assembleia Legislativa não deve prejudicar a harmonia da base aliada do governo Wellington Dias (PT). “Vejo com naturalidade. No governo federal os deputados federais sempre voltam para o congresso para votar matérias importantes, e aqui no Piauí não é diferente. Voltamos para acompanhar as discussões sobre os empréstimos e também na votação do orçamento”, avaliou.

“Depois da votação do orçamento, voltamos para as secretarias, e eles [suplentes] voltam para a Assembleia”, completou Pablo Santos. 


O deputado comandava a Fundação Hospitalar e deixou aliada política em seu lugar - Foto: O Dia

Líder do MDB defende retorno de titulares à Assembleia Legislativa 

O deputado estadual João Madison recebeu com naturalidade a confirmação do retorno dos deputados que ocupavam secretarias para a Assembleia Legislativa. Na avaliação do parlamentar, que é líder do MDB na casa, a decisão dos parlamentares deve ser respeitada. 

“Eles resolveram voltar, temos que respeitar essa posição dos deputados. Eles querem votar o orçamento e o projeto do empréstimo. É um direito deles. O mandato é deles. Então nós não podemos fazer nada”, defendeu Madison. 

Apesar de pregar cautela na situação, o líder do MDB também defendeu as indicações para o comando das secretarias permaneça como os parlamentares. “Se o governador quiser deixar as indicações deles, tudo bem. Se o governador achar por bem que deve rediscutir, é uma decisão pessoal do governador. Como líder do MDB, vamos defender o nosso partido, defender os nossos colegas deputados”, disse. 

O MDB é o partido que sofre o maior impacto com a mudança no secretariado. Retornam à Assembleia Legislativa os deputados Pablo Santos e Zé Santana, que ocupavam o comando da  Fundação Hospitalar do Estado e da Secretaria de Assistência Social, respectivamente. 

Por: Natanael Souza - Jornal O Dia

Deixe seu comentário