• assinatura jornal

Para Elmano, João Vicente deve disputar o Governo do estado

Senador era ligado politicamente a JVC e diz que aguarda retorno do ex-senador para decidir como irá atuar

11/01/2018 09:04h

O senador Elmano Ferrer (MDB) informou ao O DIA que aguarda as coisas acontecerem para se definir no cenário político de 2018. Para ele, é preciso aguardar o retorno do ex-senador João Vicente Claudino ao PTB, para decidir como vai atuar nas eleições. O parlamentar não garante que vai retornar ao PTB, caso João Vicente Claudino filie-se novamente ao partido. Elmano Ferrer ainda rebateu as feitas a ele por Wilson Martins e acrescentou que é preciso ter frieza para entender que isso é natural do processo político.


Senador Elmano Ferrer em visita ao Sistema O DIA de Comunicação. Foto: Moura Alves/ODIA

“Conversei com João Vicente Claudino. Ele disse que os amigos dele querem ele de volta na política partidária e ele está sendo provocado para disputar um cargo majoritário. Ele explicou que no Senado já teve a oportunidade de trabalhar, que não tem o perfil para um vice e por isso, ele pretende ser candidato a governador”, revela Elmano Ferrer, acrescentando que o empresário é ficha limpa e possui as principais características que a sociedade exige.

Questionado se a aproximação de João Vicente Claudino e Wilson Martins pode atrapalhar seu apoio ao empresário, Ferrer afirma que na política é preciso ter maturidade para entender os descompassos que acontecem. “O Wilson estava convicto que seria eleito ao Senado. Entrou um vein dançando, e ganhou a eleição. Ele ficou com certo ressentimento, mas no momento atual temos que todo mundo nos juntarmos para fazer o país voltar a crescer. Passou a eleição, todo mundo tem que trabalhar juntos”, pontua.

Apesar de lembrar que possui uma relação de amizade histórica com o empresário João Vicente Claudino, Elmano demonstra cautela para decidir quem pode apoiar para o governo do Estado. Na última semana, ele voltou a aparecer publicamente ao lado de Wellington Dias (PT) em reuniões no Palácio de Karnak.

Por: Ithyara Borges e João Magalhães - Jornal O Dia

Deixe seu comentário