• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

PSL declara apoio e espera indicar vice de Mão Santa

O apoio da sigla foi construído com as demonstrações de cordialidade de Mão Santa com o presidente Jair Bolsonaro

29/10/2019 17:29h - Atualizado em 30/10/2019 15:35h

O prefeito Mão Santa (DEM) ganhou o apoio do PSL na busca pela reeleição na cidade de Parnaíba. O partido, por outro lado, espera indicar o candidato a vice na chapa majoritária. O apoio da sigla foi construído com as demonstrações de cordialidade de Mão Santa com o presidenteJair Bolsonaro.

Atualmente com dois vereadores na Câmara Municipal de Parnaíba, o PSL tem como estratégia filiar mais um vereador de mandato no município e indicar o vice de Mão Santa. O posicionamento do partido no litoral do Piauí foi revelado pelo presidente estadual do partido,Luiz André, nesta terça-feira (29/10) ao O DIA.


“Em Parnaíba nós vamos marchar junto com o prefeito Mão Santa. Nós temos lá (em Parnaíba) dois vereadores, queremos chamar outro vereador para fazer parte do partido e vamos tentar fazer parte da chapa majoritária indicando o vice do nosso prefeito Mão Santa”, afirmou Luiz André.

Para os outros municípios do interior do Estado, Luiz André diz que a meta é eleger 100 vereadores e mais de 20 prefeitos. Em Teresina, o presidente reafirmou que o PSL não abre mão de sair com candidatura própria nas eleições do próximo ano e trabalha para eleger três vereadores para a Câmara Municipal.

Presidente Estadual do PSL detalha estratégia do partido para a cidade de Parnaíba (Foto: Otávio Neto / O DIA)

A crise no PSL

A crise no PSL nacional tem refletido nos membros da sigla no Piauí. Até mesmo a definição do pré-candidato a prefeito do partido depende da definição se o presidente Jair Bolsonaro permanece na sigla. Um dos nomes que pretende disputar o Palácio da Cidade, a advogadaRubenita Lessa, só fica no partido se Bolsonaro também se mantiver.  

“Queira ou não a crise deixa a militância com a dúvida: “será que o presidente sai ou fica?” A gente luta pela união do partido. Mas não é fácil. Muitos vereadores tem ligações com o grupo do próprio prefeito, tem os que são mais independentes, alguns militantes são mais ligados ao Jair Bolsonaro. É um partido dividido como muitos outros”, diz Luiz André. 

Por: Otávio Neto

Deixe seu comentário