• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

40% dos estudantes não tomam café da manhã e hábito prejudica aprendizado

Nutricionista destaca que é preciso mais atenção à alimentação das crianças, principalmente na fase inicial do desenvolvimento cognitivo

21/05/2019 11:34h

Vários fatores podem contribuir para que crianças na fase escolar tenham o desenvolvimento pedagógico impactado de maneira negativa, e um deles está relacionado diretamente à qualidade e quantidade dos alimentos consumidos. A nutricionista Débora Pinheiro destaca a Pesquisa Nacional de Saúde Escolar (PeNSE), realizada pelo IBGE, que aponta que 40% dos estudantes não tomam café da manhã e informa que isso pode trazer problemas cognitivos, com redução da memória e prejuízos ao raciocínio.

A especialista faz um alerta aos pais e responsáveis que um aluno mal alimentado ou em jejum prolongado, sem tomar café da manhã, por exemplo, apresenta prejuízos na capacidade de concentração, aprendizado e desenvolvimento pedagógico. “Uma média de 40% das crianças em fase escolar não toma café da manhã, o que consequentemente gera um pior rendimento escolar, déficit de atenção e pouca interação com outras crianças”, pondera.

Débora explica que é preciso que os pais tenham mais atenção à alimentação dos filhos, principalmente na fase inicial do desenvolvimento cognitivo. “Tudo começa em casa. Os pais servem de modelo para os filhos e, além da palavra, o comportamento tem papel importante na educação nutricional das crianças e adolescentes. Logo, fora o exemplo em casa, esses pais podem incentivar seus filhos a serem mais saudáveis, apresentando alternativas de lanches mais naturais ao invés da praticidade dos industrializados”, destaca a nutricionista.

Outros reflexos

Porém, a má alimentação não prejudica apenas a vida escolar da criança, a saúde é afetada e situações como queda de cabelo, quebra de unha também podem ocorrer. “O futuro dessas crianças, que muitas vezes se tornam obesas, é uma vida adulta ameaçada pela hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares, varizes, hérnias, doenças emocionais, câncer e problemas ortopédicos”, alerta a especialista.

Lanches saudáveis 

Para garantir uma alimentação saudável e saborosa, Débora Pinheiro sugere que os pais e responsáveis de crianças incentivem o consumo de lanches naturais na vida escolar da criança. “Bolo de laranja com suco integral de uva (diluir em água ou gelo para diminuir a concentração); Iogurte Natural com morangos e castanha de caju ou Amendoim (cru sem sal); e Pão integral com queijo coalho e tomate (se colocar orégano fica mais delicioso ainda) com água de coco são algumas opções de lanches ricos em nutrientes e saborosos, que podem contribuir para o bom desenvolvimento de crianças na vida escolar, bem como, garantir uma vida saudável a curto e longo prazo”, elenca. 

“Para aquelas crianças que consomem a merenda na escola, opções como cuscuz com ovo, macaxeira com carne moída, tapioca com queijo e sopa de carne ou vegetais também são excelentes sugestões, contanto que haja sempre o cuidado no preparo dessas refeições para que as mesmas não tenham o acréscimo de gorduras trans, como a margarina e o óleo”, conclui a nutricionista.


Deixe seu comentário