• assinatura jornal

Chuvas aumentam risco de focos de doenças em terrenos

A dificuldade de identificar os proprietários destes imóveis é um dos entraves na fiscalização e punição dos responsáveis

12/01/2018 08:56h

Com a intensificação das chuvas neste início de ano, cresce também a preocupação com os pontos da cidade onde a água pode se acumular, facilitando a proliferação de criadouros do mosquito Aedes Aegypti, transmissor de doenças como a dengue, zika e chikungunya. Por concentrar uma grande quantidade de entulhos, os terrenos baldios são alvo de denúncias em todas as zonas da cidade.


Entulhos em terreno baldio na zona Norte de Teresina preocupa os moradores do bairro Cabral alvo. Foto: Assis Fernandes/ODIA

Luciano dos Santos, morador da zona Norte da Capital, reclama da situação em que se encontra um terreno próximo à sua residência. Ele afirma que o local é usado como depósito de lixo, o que deixa a população das redondezas em alerta. “A gente tem medo de ficar doente. Já houve vários casos de pessoas que moram aqui próximo que ficaram doentes”, relata.

Paulo de Tarso, que também mora nas proximidades do terreno baldio, conta que funcionários da Prefeitura já fizeram a limpeza do local, no entanto, apenas na parte externa. “É limpo quando a Prefeitura manda alguém, mas só a calçada. Aí dentro tem garrafa, tampa de alguma coisa, o que facilita a proliferação do mosquito da dengue agora no período das chuvas”, afirma.

De acordo com o Código de Postura de Teresina, é do proprietário a responsabilidade de fazer a manutenção e limpeza do terreno. Quem fiscaliza a situação destes locais é a Prefeitura de Teresina, através das Superintendências de Desenvolvimento Urbano de cada zona (SDU), que encaminham fiscais aos imóveis que apresentam acúmulo de lixo e mato alto.

Edição: Virgiane Passos
Por: Breno Cavalcante

Deixe seu comentário