Moradora denuncia descarte irregular de lixo por funcionários da Prefeitura de Teresina

Prefeitura diz que lixo descartado no bairro Morada do Sol, na Zona Leste, é de origem particular e que será retirado em um prazo de dois dias.

20/10/2021 15:57h - Atualizado em 20/10/2021 16:33h

Compartilhar no

Há pelo menos dois meses a professora Sandra Barreto vem sofrendo com um descarte de lixo irregular na porta de casa. Ela mora no bairro Morada do Sol, na Zona Leste de Teresina, e tem tido dificuldade até para sair de casa. No local podem ser encontradas montanhas formadas por todo tipo de entulho. 

Foto: Assis Fernandes/ODIA 

Tem lixo doméstico, restos de materiais de construção,copos descartáveis, isopor e embalagens. Materiais que podem virar um esconderijo perfeito para reprodução do mosquito Aedes aegypti. Ela explicou que profissionais da limpeza contratados pela prefeitura até fazem a manutenção das ruas do bairro, mas descartam os resíduos na região e não voltam para recolher. Contudo, o executivo municipal disse que o lixo é de origem particular e que enviará uma equipe par retirá-lo do local.


“Os profissionais limpam, mas não recolhem os materiais que estão aqui há mais de dois meses. O lixo vai se acumulando criando dificuldades até para quem precisa passar pela rua”, denuncia


Foto: Assis Fernandes/ODIA 

O PortalODia.com esteve no local nesta quarta-feira (20) e constatou a situação. A montanha de lixo fica localizada na Rua Senador Luís Mendes Ribeiro Gonçalves em uma calçada próximo de um terreno da prefeitura. Funcionários que trabalhavam em ruas próximas do local não quiseram gravar entrevista.

Foto: Assis Fernandes/ODIA 


“Os funcionários limparam as ruas e jogaram o lixo aqui. O problema não é a limpeza, mas o descarte nesse local que já dura dois meses. O mato está tão seco que se alguém tocar fogo será um incêndio de grandes proporções. Por o lixo está aqui, muitos carroceiros também passam e deixam materiais. Daqui a pouco isso aqui vai virar um lixão”, completa.


Outro lado

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh) informou que o lixo descartado no local é de origem particular e não foi deixado pelos funcionários da prefeitura. O órgão disse ainda que irá abrir uma solicitação para retirada dos materiais em um prazo de até dois dias e que abrirá uma investigação para multar os autores do crime.

“Os profissionais do CTA usam uma sacola amarela para recolher o lixo. Além disso, quando há resíduos um veículo é destinado para a coleta. O lixo do local é de origem particular e iremos encaminhar uma solicitação para a retirada em prazo de dois dias. A gente conta com a colaboração da população para denúncia desse tipo de crime. Vamos tomar todas as providencias cabíveis ao caso”, disse Edmilson Ferreira, secretário da Semduh. 

Em nota, a Coordenação de Limpeza da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação disse ainda que "devido à grande demanda, houve um atraso no cronograma do caminhão que faz o recolhimento do lixo descartado em local irregular, por este motivo, as equipes agruparam esses resíduos em alguns pontos estratégicos para facilitar a remoção". 

O descarte de lixo em locais proibidos é um grande desafio enfrentado pela Prefeitura de Teresina. O órgão tem aumentado a fiscalização, o monitoramento, a aplicação de multas e as medidas de conscientização, mas também precisa do apoio da população, tanto no sentido de evitar jogar lixo nas ruas quanto no sentido de denunciar a prática. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário