• Natal
  • Policlinica
  • Motociclista
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Pets precisam de cuidados nas festas de final de ano

Os fogos de artifício também podem deixar animal estressado, ansioso e com medo

02/12/2019 10:29h - Atualizado em 02/12/2019 10:40h

Uma das preocupações nesta época do ano para quem tem cães e gatos é o risco de choque elétrico e outros acidentes domésticos. Os atrativos pisca-piscas das árvores de Natal, bem como os outros enfeites podem ser engolidos pelos animais e causar sérios problemas. A médica veterinária Joyce Magalhães diz que isso pode acontecer porque os pets são muito curiosos.

“Enfeites que se mexem ou acendem luz despertam ainda mais a curiosidade dos pets. A gente tem que pensar que tudo que eles pegam eles põem na boca. Então, a probabilidade de eles quebrarem o enfeite e engolir, seja de plástico ou de vidro, é muito grande”, declara Joyce Magalhães.

Para a veterinária, o animal é como uma criança e você deve comprar os enfeites pensando nos riscos que podem causar. Outra dica é que os tutores deixem os enfeites suspensos, longe do alcance dos animais. Sobre a fiação dos pisca-piscas, ela recomenda que não deixe o fio ao alcance do gato.

“O choque é uma grande preocupação da gente nessa época do ano devido à quantidade de luzes que costumamos utilizar para enfeitar a casa. Se o gato estiver ocioso, ele pode mexer nos fios de modo que possa se enroscar e morder. Nesse caso, é urgência e emergência e tem que correr para a clínica mais próxima e já conversando com o veterinário”, frisa Joyce Magalhães.

Ao engolir algum objeto também é importante levar o animal ao veterinário para realizar exames, como Raio-X. O profissional vai verificar se realmente o animal ingeriu um objeto estranho, qual o tamanho e as medidas a serem tomadas, pois cada caso é um procedimento diferente.


Fogos de artifício podem deixar animal estressado, ansioso e com medo

Após as festas de Natal, vêm os fogos de artifício na virada de ano. Os barulhos e as luzes podem deixar o animal estressado, ansioso e com medo. O ideal é que o processo de dessensibilização seja feito ainda quando filhote, para que ele se adapte aos sons estranhos.

“Às vezes, a gente mora em apartamento, mora sozinho, não tem criança, e o dia do filhote em casa é muito silencioso e o ideal é que não seja assim. Quando filhote, a gente expõe o animalzinho a barulhos mais intensos para que vejam que não é nada demais”, orienta Joyce Magalhães.

Se o cachorro ou gato for adulto e já tiver medo de fogos, o ideal é procurar um profissional, pois para dessensibilizá-lo é preciso fazer uso da medicina interativa. 

“O perigo de quando o animal já possui o medo é que, com o decorrer dos anos, ele pode ter uma parada cardiorrespiratória devido à ansiedade e ao medo que sente. Mas para ajudar, podemos utilizar a musicoterapia ou a acupuntura. Outra coisa importante é que se ele entrou em baixo da cama ou de algum móvel, não tente tirar ele porque é o lugar que ele se sente seguro. Coloque um som da televisão que ele já está acostumado, a música é boa porque os batimentos cardíacos vão no ritmo da música e libera dopamina, serotonina e vai acalmando o animal”, explica Joyce Magalhães 

A veterinária ressalta ainda que não é recomendado segurar o animal no colo e ficar apertando, porque isso deixa o animal mais ansioso e com medo. O ideal é usar alternativas como um espaço que ele se sinta, mas seguro. “Ainda dá tempo de procurar um profissional e treinar o animal para a virada do ano. Temos que evitar fugas, acidentes, porque o pet quer fugir do barulho, então vamos ajudá-lo a perceber que ele pode conviver com aquilo”, conclui Joyce Magalhães.


Curiosidade: Qual o dia certo para montar a árvore de Natal?

As festas de fim de ano mexem com a emoção e o imaginário de várias pessoas. Muitas, ansiosas pelo período, já começam a montar a árvore de Natal logo após o Dia das Crianças. Mas existe um dia certo para montar este símbolo natalino?

Segundo a tradição cristã, o dia certo para montar a árvore de Natal é no primeiro domingo do Advento — tempo litúrgico que dura quatro semanas e marca a preparação para o nascimento de Jesus. Em 2019, essa data é dia 1º de dezembro.

Já o presépio deve aguardar mais duas semanas para ser montado: ele aparece no terceiro domingo do Advento — dia 15 de dezembro, que é marcado pelo Evangelho da anunciação de Jesus pelo anjo Gabriel à Maria. Esta data também é uma alternativa para montar a árvore de Natal, já que alguns grupos católicos têm o costume de deixar para este dia.

E quando desmontar?

O dia que marca o fim das festividades de Natal na Igreja Católica é o Dia de Reis, que acontece no dia 6 de janeiro. No entanto, como a celebração da liturgia em si só acontece no domingo após a data, a decoração se estende até o dia 12 de janeiro de 2020. 

Edição: Virgiane Passos
Por: Sandy Swamy

Deixe seu comentário