• Canta
  • SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Boca da Noite apresenta a Banda Samanttha nesta quarta-feira (11)

A banda tem músicas com arranjos variados influenciada pela cultura gótica.

11/09/2019 07:16h - Atualizado em 11/09/2019 07:25h

As noites quentes do mês de setembro podem ser preenchidas com atividades culturais. Essa é, pelo menos, uma das propostas do Projeto Boca da Noite durante todas as quartas-feiras deste mês, no Espaço Osório Jr/Club dos Diários, com entrada franca e apresentações musicais. Hoje, às 19horas, sobe ao palco a banda Samanttha. 

Criada em 2005, a banda surgiu com uma proposta voltada para produção de músicas autorais focadas nas emoções do ser humano. Em 2008, os integrantes resolveram se afastar dos palcos, retornando às atividades em 2015 com a publicação de um vídeo clip para a música “And Your Pristine Eyes”. 


Leia também:

Nova temporada do Boca da Noite começa dia 21 de agosto 


Além disso, a banda está em fase de produção do seu CD, com lançamento previsto para este ano, fruto de um trabalho desenvolvido em algumas apresentações, como Cena Rock Solidário (no Teatro do Boi), Infektor Self Festival, Autoral Rock (no Club dos Diários) e outros shows apresentados ao longo do ano.


A apresentação acontece às 19horas no Clube dos Diários - Foto: Divulgação

A banda Samanttha apresenta músicas com arranjos variados, alternando entre peso e atmosfera melódica, influenciada, sobretudo, pela cultura gótica e pela música dark, incluindo o Funeral Doom Metal e elementos técnicos do Progressivo. 

As letras vão além da musicalidade e abordam o que se pode também encontrar na segunda geração romântica da literatura e da filosofia existencialista: morte, desamparo, tristeza, amor, solidão e o niilismo.

O projeto Boca da Noite é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e, em Teresina, acontece todas as quartas-feiras com programação até dezembro. Neste mês de setembro, a programação de shows também inicia nas cidades do interior.

Fonte: Jornal O Dia
Edição: Glenda Uchôa

Deixe seu comentário